Clube do Vinho

E para o mês de Maio, estes são os derradeiros vinhos escolhidos por Manoel Beato para o último box do nosso Clube do Vinho Clarets – França:

Clos du Chateau de Parnay

Produtor: Chateau de Parnay

Safra 2015
País França
Região Loire
Sub-Região/Apelação Saumur-Champigny
Volume 750ml
Uvas Cabernet Franc
Temp. de Serviço 16º – 18º
Álcool 13,5%

Foi já nos anos 2000 que Mathias Levron e Regis Vincenot adquirem e dão um novo sopro de vida à essa propriedade histórica. Quem me apresentou os vinhos do Chateau de Parnay foi o grande expert e entusiasta de vinhos de biológicos, puros e de caráter, Bruno Quenioux, proprietário da Cave( loja de vinhos )Philovino, em Paris. Este é um exemplo de Cabernet Franc de um belíssimo frutado, pitadas vegetais e minerais e corpo médio com fina firmeza. O solo argilo-calcário, e a colheita manual de uvas perfeitamente maduras próprias de um vinhedo centenário e muito bem localizado são alguns dos fatores que fazem deste vinho um dos mais promissores do Loire.”

Loire é uma das mais extensas regiões de vinhos da França, sua localização se inicia a aproximados 150 km ao sul de Paris, na região denominada como Alto Loire, responsável pela produção dos Puilly-Fume e Sancerre. A região continua por mais 250mk a oeste, passando pelo Loire Central, onde está a importante sub-região de Touraine, e terminando no Baixo Loire, região onde localiza-se a importante cidade de Nantes e termina na costa do Oceano Atlântico. Devido a esta grande extensão, Loire possui diversos micro-climas, fazendo, assim, tipos de vinhos totalmente diferentes. Saumur-Champigny é uma apelação de vinhos tintos de Samur, localizada na região do Loire Central. Originária de dezembro de 1957 como complemento à denominação de Saumur Rouge (criada ao mesmo tempo e com o mesmo decreto). Hoje, mais de 80.000 litros de vinho tinto Saumur-Champigny são produzidos a cada safra. Os vinhos Saumur-Champigny são feitos predominantemente de Cabernet Franc, com uma adição permitida (se raramente usada) de até 10% de Cabernet Sauvignon ou Pineau d’Aunis.

A primeira fortaleza de Parnay remonta à Idade Média, nos séculos X e XI. No final do século XV, a propriedade e o castelo pertenciam a Jehan du Plessis, o futuro rei de Nápoles, que também foi Duque de Anjou (1434-1480). Em 1794, o castelo de Parnay foi atacado e queimado pelos republicanos. Em 1820, o novo castelo em Parnay, com um verdadeiro estilo renascentista, foi construído. A propriedade foi comprada em 1887 por Antoine Cristal, que foi o inventor de muitas técnicas vitícolas inovadoras. Em dezembro de 2006, a propriedade é comprada por Mathias Levron e Regis Vincenot, que retomam a exploração das vinhas de Parnay, perpetuando toda a qualidade e tradições do Chateau. Situado no coração dos melhores terroirs da região de Saumur-Champigny, encontra-se a famosa vinha “Clos d’Entre les Murs”. Construída por volta de 1900 por Antoine Cristal, esta vinha murada é verdadeiramente uma das mais originais do mundo. Parnay será a futura casa de um hotel de 5 estrelas na propriedade, com o objetivo de estar em um dos resorts de vinho mais requintados em toda a França.

Extração das uvas frescas, com um período de maceração de 12 dias.

Chateau Fontenil

Produtor: Chateau Fontenil

Safra 2002
País França
Região Bordeaux
Sub-Região/Apelação Fronsac
Volume 750ml
Uvas Merlot | Cabernet Sauvignon
Temp. de Serviço 15º – 17º
Álcool 12%

Um Bordeaux margem direita perfumadamente atraente aos olhos, nariz e boca. Majoritariamente Merlot, arredondado, com bom corpo, no ponto exato de prazer. Proprietário e produtor, Michel Rolland, o mais famoso enólogo do mundo, imprime seu estilo, mas aqui, com um pouco menos de extração que outros dos seus apresentam.”

Bordeaux é uma das mais importantes regiões produtoras de vinho da França, está localizada em torno de 500 Km a Sudoeste de Paris. Fronsacestá siutada a noroeste da cidade de Libourne perto de Pomerol e Saint Émilion. A Principal uva plantada na regoão é a Merlot. Fronsac tem 834 hectares sob videira. Perto de 106 produtores estão produzindo vinho na região. Em média, cerca de 385.000 caixas de vinho são produzidas no Fronsac a cada ano. O terroir tem solos de argila e calcário que não são tão diferentes do que se encontra em Saint Emilion. Alguns dos melhores terroir estão localizados nos penhascos de calcário com elevações próximas a 300 pés com vista para o rio Dordogne.

Dany e Michel Rolland são os herdeiros de uma sólida tradição familiar de vinhos. Ambos têm diplomas em enologia da Universidade de Bordeaux e conhecem bem a denominação Fronsac. Tendo sido consultores de várias propriedades na região, eles decidiram produzir vinhos lá. Em 1986, eles adquiriram alguns acres na comuna de Saillans, que eles chamavam de Chateau Fontenil; Tem o nome de uma das parcelas da vinha. A vinha está situada em uma encosta virada a sul olha para a cidade de Libourne. Este cenário magnífico enquadra uma propriedade cujos vinhos melhoraram a reputação da denominação Fronsac.

A colheita das uvas é totalmente manual. A idade das vinhas superior a 40 anos. A fermentação acontece em pequenos tanques de aço e madeira com a técnica de pigeage. É envelhecido por 15 a 18 meses em barris de carvalho francês, sendo 60% novos.

Ramonet Chassagne-Montrachet Premier Cru “Morgeot”

Produtor: Domaine Ramonet

Safra 2014
País França
Região Borgonha
Sub-Região/Apelação Chassagne-Montrachet
Volume 750ml
Uvas Pinot Noir
Temp. de Serviço 15º – 17º
Álcool 14%

Em 1995 tive o privilégio de participar de um encontro histórico no Domaine Ramonet por ocasião de uma homenagem a Pierre Ramonet, criador do Domaine que hoje produz alguns dos mais preciosos vinhos da Bourgogne. Foi em 1984 que os netos Jean Claude e Noel assumiram o Domaine. Recentemente houve uma ruptura amigável entre os irmãos e Jean Claude assina seus vinhos à partir de uvas do Domaine. Este 1º cru é um grande exemplo do requinte dos seus vinhos. Se os brancos estão entre os melhores do planeta, os tintos merecem figurar entre alguns dos excelentes tintos da região. Vinho a um só tempo potente, tenso e sedoso. Sendo longevo ainda deve evoluir bem com alguns anos, mas já bem prazeroso no momento, aconselhando decantar com pelo menos uma hora de antecedência e/ou servindo em copos borgonheses bem bojudos.”

Borgonha é uma região localizada a 260km a Sudoeste de Paris. Sua maior e principal cidade é Dijon. Outra cidade muito importante é Beaune, localizada no coração da região. Borgonha tem sua história difundida junto da história dos vinhos na França, os monges cistercianos foram os responsáveis por demarcarem a região, trabalho que durou séculos. As propriedades da região são geralmente muito pequenas, e os vinhos são produzidos em pequenas quantidades, sendo a região mais cara na média de preços de vinhos em toda a França. Na parte sul de Côte de Beaune, Chassagne-Montrachet compartilha com Puligny o título incontestável do príncipe dos vinhos brancos secos do mundo: o divino Montrachet (pronunciado “Monrachay”). Esta encosta fina e larga realça a mais alta expressão das duas uvas da Borgonha – a Pinot Noir e a Chardonnay, que crescem aqui lado a lado – tal é a complexidade dos solos da região! Extensas pedreiras de mármore, que formam uma espécie de penhasco, foram a fonte das lajes cor de rosa e bege que entraram no edifício do Trocadero em Paris e, mais recentemente, na pirâmide do Louvre. O Chassagne-Montrachet AOC data de 1937.

Pierre Ramonet entrou na Borgonha no final dos anos 20 com a mochila nas costas e e quase nada mais. Depois de anos comprando e vinificando uvas juntamente com seu filho André, ele gradualmente acumulou lotes de terra em sua aldeia escolhida. Mais de 15 hectares de vinhas são cultivados, com uma filosofia abrangente de preservar a idade da videira, sempre que possível. As fermentações ocorrem em tanques de aço inoxidável e são transferidas para barris quando estão quase concluídas. O carvalho novo começa com menos de 10% para os vinhos das aldeias, cerca de 25% para a maior parte dos Premier crus e entre 50% e 75% para os Grands crus. Como resultado, os vinhos são invariavelmente poderosos e muito complexos, com camadas de frutas ricas, mas mantendo excelente finesse. Atualmente os Proprietários do Domaine são os netos de Pierre, Jean Claude e Noel Ramonet, sendo este último o responsável pela vinificação.

Uvas colhidas manualmente e fermentação em tanques de cimento com pisa a pé. Envelhecimento em barricas de carvalho francesas.

Associe-se agora mesmo!

Abertura com:

Somente 75 assinaturas

Inscrições por telefone:

+55 (11) 3150.5555

Associação mínima por:

3 meses