O Château d’Issan é uma das mais antigas propriedades produtoras de vinho no Médoc, assim como de toda região de Bordeaux. Em 1152, diz-se que o vinho produzido pelo que hoje conhecemos como Château d’Issan foi servido no casamento entre Eleanor da Aquitânia e o rei Henrique II, um dos fatores que levaria à Guerra dos Cem Anos entre França e Inglaterra. Vizinho ao Château Palmer, Issan é um dos expoentes da denominação de Margaux, sendo um Troisième Cru na classificação de 1855.
O Grand Vin é baseado em alta porcentagem de Cabernet Sauvignon, dando certa austeridade ao conjunto em um caminho contrário de delicadeza dos vinhos de Margaux. Já em seu segundo vinho, Blason d’Issan, a proporção de Merlot no corte aumenta, mas com menor porcentagem de barricas novas no amadurecimento. Um tinto bem mais acessível, não necessitando de longo tempo de guarda. Seu estilo vai mais ao encontro das características da denominação.
A partir de 1988, o Château começou a produzir um terceiro vinho, o Moulin d’Issan. As ruínas do antigo moinho de vento do século XVII, que deu nome a este vinho, ainda se encontram no meio do vinhedo. O atual alto nível de qualidade no Château d’Issan remonta a 1998, ano em que Emmanuel Cruse assumiu a função de administrar esta propriedade da margem esquerda. Ele obteve dupla graduação, em direito e enologia, e, desde então, transformou o Château em uma das principais propriedades da denominação de Margaux.
X
Menu