Olivier Rivière é um destes jovens talentosos e pequenos produtores a surgir na Espanha nos últimos anos. Nascido na França, em Cognac, estudou enologia com foco em agricultura biodinâmica, seguindo para Borgonha e outras regiões em seguida e trabalhando em produtores como Domaine Leroy e Elian da Ros, onde adquiriu muita experiência. Rivière iniciou seu próprio projeto na Espanha no ano de 2006, depois de ser convidado por Telmo Rodriguez alguns anos antes para converter seus vinhedos para biodinâmicos. Atualmente possui 25 hectares de vinhedos localizados em Rioja, Arlanza e Navarra. Rivière sempre coloca os vinhedos em primeiro lugar, focando sempre na mínima intervenção possível e na obtenção de uvas da mais alta qualidade. Diferente de muitos produtores de Rioja, ele não toma como base na elaboração dos seus vinhos as classificações ou tempo de envelhecimento em barril, mas sim o terroir. Quase todas suas vinhas são cultivadas organicamente com práticas biodinâmicas. A colheita é manual, usa somente leveduras indígenas e a quantidade de enxofre utilizada é mínima.
Ele acredita em uma hierarquia de qualidade inspirada na Borgonha, com vinhos regionais e comunais na base e vinhos Premier e Grand cru no topo. Assim sendo, é possível entender como Olivier vem trabalhando em Rioja, ao invés do modelo tradicional Crianza, Reserva, Gran Reserva. Também seguindo uma abordagem da Borgonha, Rivière vinifica todos os vinhedos de forma separada. O seu vinho branco La Bastid é uma mistura de Viura, Malvasia e Garnacha Blanca de nove parcelas de vinhas em torno de Labastida em Rioja Alavesa plantadas a uma altitude média de 600m. Olivier considera este vinho seu Côtes de Nuits branco. Indo para os tintos, o El Cadastro é uma mistura feita a partir de 4 parcelas de vinhas mais velhas que foram plantadas nas décadas de 1930 e 1950. A maior parte das uvas deste vinho vem da subzona de La Tizona, que Olivier sente conferir aromas florais inatos, aos quais ele adiciona uma porção de frutas das subzonas de La Mula, El Amesado e La Quemado – o planalto considerado por muitos como o Grand Cru de Covarrubias.
O Rayos Uva é um blend encorpado de Tempranillo, Garnacha e Graciano, apresentando frutas em conserva equilibradas com algumas notas herbáceas. A proporção de cada uva varia de acordo com a safra. Já o Ganko, é uma mistura de Garnacha e Mazuelo, vindas de Cárdenas no vale de Najerilla, na margem direita do rio Ebro, de vinhas entre 60 a 90 anos de idade. Normalmente é fermentado com engaço, resultando num tinto fresco, balsâmico e intenso. A partir da safra de 2013, Las Viñas de Eusebio foi um novo rótulo elaborado pelo produtor, com vinhedos nos arredores de Laguardia. Por fim, o Pozo Alto, lançado pela primeira vez na colheita de 2015. Este é uma mistura original e vibrante de Graciano, Tempranillo e Garnacha provenientes de uma área muito específica dentro de um grande vinhedo em Leza (Rioja Alavesa).
X
Menu