Total: R$0,00

Um dos maiores vinhedos de Pomerol, com 32 hectares, o Château Nénin foi adquirido por Jean-Hubert Delon na véspera da colheita de 1997. Até então, ele havia pertencido à família Despujol, primos dos Delon, desde 1847. Assim que assumiu, Delon empreendeu uma grande reestruturação, que levou Nénin a um novo patamar.


As vinhas foram replantadas ou desenraizadas, foram revisados os métodos de poda e de condução, e o equipamento foi modernizado, de acordo com os padrões dos Domaines Delon (que conta com os châteaux Léoville Las Cases, Clos du Marquis e Potensac). A transformação da propriedade foi total: das caves de envelhecimento e armazenamento à sala de vinificação, com novos tanques da melhor qualidade.


Com exceção de uma pequena parcela, todo o vinhedo cresce num só bloco de terra. Dada a extensão de Nénin, os terroirs são variados. A densidade de plantação é baixa em comparação a outras regiões de Bordeaux: entre 6.300 e 7.100 videiras por hectare. A composição mineral do Pomerol é singular: são depósitos milenares de sedimentos aluviais do rio Dordogne, misturados à argila sílica, quartzo, granito, cascalho e seixos de basalto. O planalto onde são feitos os melhores Merlot do mundo é, também, rico em minério de ferro.

O resultado do trabalho dos Delon nas últimas décadas nessa terra tão promissora tornou Nénin um vin de garde excepcional. Combina potência e elegância, complexidade e equilíbrio – a melhor expressão de uma variedade considerada em outras regiões como secundária. A adição esporádica de Cabernet Franc, a depender da safra, confere ao Château Nénin um toque de frescor. É um vinho que pode e deve envelhecer antes de ser degustado. Seu segundo rótulo Fugue de Nénin foi criado em 1997. Fugue é uma referência à música; já que “Fuga” significa uma repetição do tema principal, o que diz muito sobre o estilo do vinho.

X
Menu