Total: R$0,00

A família de Maxime Cottenceau cultiva vinhas há várias gerações, mas vendia as uvas que produziam. Em 2018, contudo, ele resolveu que passaria a engarrafar os vinhos feitos a partir de 2,8 hectares dos melhores lotes de sua propriedade. Assim nasceu o Domaine Cottenceau, na pequena vila de Buxy, ao sul de Givry, na Côte Chalonnaise, Borgonha.

Antes de partir para a empreitada, Maxime havia estudado viticultura e enologia enquanto também trabalhou por três anos com o genial Vincent Dureuil, do Domaine Dureuil-Janthial, em Rully – um dos maiores nomes do vinho no sul da Borgonha. Hoje, Maxime cultiva cerca de 4 hectares de vinhas e mantém uma estreita amizade com Vincent (que continua o orientando sempre que preciso), para criar brancos de extrema expressividade.

Maxime tem trabalhado para obter a certificação orgânica para seus vinhedos. Na adega, ele segue uma filosofia de baixa intervenção e todas as suas ações são realizadas de acordo com o calendário lunar (pensando na biodinâmica). O envelhecimento em barricas dura entre 18 e 20 meses, com seis meses em tanques antes do engarrafamento.

Diz-se que os vinhos da denominação Montagny, a base central dos vinhedos do Domaine Cottenceau, eram os prediletos dos monges da abadia de Cluny. Hoje, graças aos vinhos de Maxime, a fama de grandes brancos de Montagny ressurge com força. Entre seus principais rótulos estão os Premier Cru de Les Vignes Longues, Les Bassets, Vigne du Soleil e Montcuchot, por exemplo. Ele também produz um Givry Village chamado Champ Pourot.

X
Menu